Previsão do Tempo
Tempo em
Francisco Beltrão

º | º

Próxima da conclusão, ponte entre a Cango e o Kennedy já está liberada para veículos

Publicado em

Da assessoria

 Baleta, secretário Vieira, prefeito Neto e Jonas em frente à ponte que liga os bairros Kennedy e Cango e que já pode ser utilizada pelos motoristas

Baleta, secretário Vieira, prefeito Neto e Jonas em frente à ponte que liga os bairros Kennedy e Cango e que já pode ser utilizada pelos motoristas

Após mais de um ano desde o início das obras, a ponte que liga os bairros Cango e Presidente Kennedy está liberada para o tráfego de veículos desde a última segunda-feira, quando recebeu asfalto, numa das últimas etapas para a conclusão total da obra. O prefeito Antonio Cantelmo Neto e o secretário de Urbanismo, José Carlos Vieira, visitaram o local nesta terça-feira para verificar a utilização da ponte por motoristas e pedestres.

“Esta é uma obra muito aguardada pelos moradores que precisam se deslocar entre um bairro e outro e que agora terão o percurso reduzido”, afirmou o prefeito Neto. A ponte substitui uma antiga pinguela que existia sobre o rio Marrecas desde a década de 70 e visa dar maior fluidez ao tráfego de veículos.

A obra, no entanto, ainda não está totalmente finalizada. Vieira diz que é possível utilizar a ponte como está, mas que a Prefeitura ainda trabalhará nas próximas semanas na pintura, instalação da parte elétrica, construção de calçadas e da sinalização viária. “Como a ponte gerou uma expectativa muito grande, estamos liberando o tráfego até que tudo esteja pronto, mas os motoristas devem trafegar com atenção pelo local”, recomenda o secretário.

A falta de projetos complementares, como o do acesso às cabeceiras da ponte e do impacto da mesma no entrono, atrasaram a construção da obra, feita através de financiamento do Paranácidade. Silvestre Três, conhecido por Baleta, morador vizinho à ponte, acredita que, apesar dos imbróglios que envolveram a construção, a obra melhorará a passagem de veículos pelo local. “O lugar está melhor agora”, resume.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *