Previsão do Tempo
Tempo em
Francisco Beltrão

º | º

Dona Ana, exemplo de dedicação à maternidade

Publicado em

Neste domingo, 13, é comemorado o Dia das Mães. Para marcar a passagem da data conversamos com uma mãe especial,  para saber a sua história. Ana dos Santos, de 69 anos, é aposentada, casada com Augusto dos Santos há 52 anos e mãe de quatro filhos: Roseclei, Vanderlei, Edina e Emerson. Sempre com um sorriso no rosto leva a vida numa boa, ao lado da família que tanto ama.

Dona Ana foi funcionária pública desde muito jovem e ao lado do esposo cuidou da casa e se esforçou para dar o melhor aos filhos. Enérgica, porém carinhosa, é uma mulher que passou por muitas dificuldades, mas nunca abaixou a cabeça e nem perdeu a alegria de viver. O filho caçula, ainda aos 15 anos, começou ter problemas com alcoolismo. A mãe passou a vida prestando apoio. Mesmo com todos os esforços e após constituir família, ele continuava bebendo.

A mãe sempre dedicada, conciliando o trabalho, casa, esposo e os outros três filhos, dava muita atenção ao caçula. Após os 30 anos, quando se tornou totalmente dependente de álcool e com problemas de saúde que o deixaram debilitado, voltou a morar na casa da mãe e aceitou ajuda. “Ele chegou ao fundo do poço, vi meu filho quase morto, foi então que ele me pediu ajuda. Internamos em Cascavel, arrumei dinheiro, fiz sacrifícios e o mantivemos na clínica durante 120 dias. Meu filho voltou curado, graças a Deus. Já fazem três anos que ele esta sóbrio”, relata Ana.

Após recuperar o filho que ela pensava não ter mais solução, dona Ana perdeu o outro filho homem. “Em janeiro completou um ano que perdi o Vanderlei, ele teve um infarto fulminante. A dor de perder um filho é tão grande que só quem já passou por isso sabe”. Além do filho Emerson, o neto Emerson Junior de 21 anos também mora com a avó. “Eu criei meu neto desde os 7 meses, a mãe dele foi embora, consegui a guarda do menino e cuidei como um filho”, ressalta a avó.

Dona Ana está aposentada e há seis anos atrás voltou a estudar, já que na infância não teve oportunidade. Ela frequenta o Centro de Convivência dos Idosos, participa do Clube de Mães, faz crochê, ginástica, cuida da casa. Além de todas estas atividades ainda cuida do esposo que sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) há seis anos e precisa de ajuda para tomar banho e se alimentar. Muito vaidosa, ela só não gosta que as filhas e netas mexam em seus perfumes e roupas. “Elas querem que eu empreste minhas coisas, mas esquecem de devolver, sempre tenho que buscar”, gargalhando conta dona Ana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.