Previsão do Tempo
Tempo em
Francisco Beltrão

º | º

Ciclofaixa será ampliada e ligará parque de exposições e Alvorada

Publicado em

Estudo preliminar da proposta foi apresentado nesta sexta; depois, a Prefeitura ainda quer ligar o Parque Alvorada até a BRF com ciclofaixa

Da assessoria

Silmara Brambilla (Lahsa), Rudi Czerniaski (Debetran), Emmanuel Olivo (Pedala Beltrão), Eduardo Scirea e Monica Miró (DIPPM) analisam o estudo preliminar que amplia a ciclofaixa até o Parque Alvorada

Silmara Brambilla (Lahsa), Rudi Czerniaski (Debetran), Emmanuel Olivo (Pedala Beltrão), Eduardo Scirea e Monica Miró (DIPPM) analisam o estudo preliminar que amplia a ciclofaixa até o Parque Alvorada

A primeira ampliação da ciclofaixa em Francisco Beltrão visando a criação do chamado circuito cicloviário foi debatida nesta sexta-feira. O estudo preliminar que vem sendo elaborado desde janeiro contempla a criação de vias para o tráfego de ciclistas ligando diversos pontos da cidade, o primeiro deles continuando da atual ciclofaixa da Rua Curitiba até o Parque Alvorada.

Segundo a proposta elaborada pela Lahsa, empresa que presta assessoria em trânsito para a Prefeitura, a ciclofaixa continuaria pela rua Antonio Carneiro Neto, em altura se transformaria em ciclovia – que é um conceito de via elevada da pista de rolamento – e continuaria até próximo ao portal italiano.

“Esse é um estudo preliminar que ainda será avaliado, mas assim que estiver avalizado, prosseguiremos com a elaboração do projeto e do cronograma de implantação, que acontecerá nos próximos meses”, explicou o vice-prefeito e secretário de Planejamento, Eduardo Scirea. “Apesar das polêmicas, estamos contemplando o modal bicicleta em novas vias, como a rua Pato Branco, que será avenida Água Branca e terá uma ciclovia”, completa.

A diretora do Departamento de Informação, Pesquisa e Planejamento Municipal (DIPPM), Monica Miró, o diretor do Debetran, Rudimar Czerniaski, a arquiteta e urbanista Silmara Brambilla (Lahsa) e o cicloativista Emmanuel Olivo, do grupo Pedala Beltrão, também participaram da reunião.

A intenção da Prefeitura é interligar vários pontos da cidade através de um circuito cicloviário. Outro estudo que vem sendo elaborado contempla a criação de ciclofaixa do Parque Alvorada até a BRF, passando pelo quartel do 16º Esquadrão de Cavalaria Mecanizado e com um ramal até o Parque da Cidade Norte.

Cidade ganhará paraciclos

Paralelo à criação das ciclofaixas, iniciativa pioneira na região, a Prefeitura também está trabalhando desde o início do mês com uma campanha de orientação voltada aos ciclistas e iniciará na próxima semana a instalação dos chamados paraciclos, uma estrutura em que é possível “estacionar” a bicicleta.

O modelo dos equipamentos foi feito a partir da sugestão de ciclistas e será instalado no parque de exposições para poder ser usado já na Expobel. Outros irão para os parques Alvorada e Cidade Norte, ao calçadão e à esquina da Curitiba com a avenida Julio Assis.

Comentários

  • Iza Pyjak disse:

    Acho que esse projeto está bem pensado. Ligando o trabalhador ao seu destino. Mesmo assim gostaria de saber se a “ciclovia que virou estacionamento” porque desconheço o nome da rua. foi resolvido.
    Também gostaria que pensassem mais em culturas, transformando a atual diretoria em uma Secretaria com mais aplicações em eventos de várias culturas e não apenas “da região”, ou supostamente “que o povo gosta”. O povo vai gostar do que vier a conhecer. A programação da Expobel, como sempre, deixou a desejar para públicos alternativos.
    Outro ponto que está sendo questionado por minha pessoa é a torre, que é da igreja com apoio da comunidade, há 14 anos consumindo recursos de todos os lados. Mais de um milhão, sendo que um milhão do “Ministério da Cultura”. ..

  • Ivonete disse:

    Que ótimo que está tendo planejamento, aumentar os espaços de ciclovia e ciclofaixa na cidade!!!Adorei, desde que eles não sejam transformados em estacionamento decorado e sim sejam realmente abertos para os ciclistas, não somente para aqueles que usam a bicicleta por esporte, de noite e nos finais de semana, mas espaços reais de circulação de bicicletas para que a população possa escolher utiliza-la como um meio de transporte em qualquer horário e para qualquer atividade, seja ela recreativa ou não. Esperamos anciosos pela reabertura da ciclovia da Rua Curitiba, em tempo integral!

  • Clério disse:

    É inútil! Para beneficiar, com dinheiro público, estacionamentos vermelhos para dois ou três comerciantes do centro, a maior parte da população continuará não podendo ir de um lugar ao outro com segurança, economia e bem estar. PORTANTO, NÃO TEMOS COCLOFAIXA! Eu só queria saber quanto custou (do nosso dinheiro) o tapete vermelho para os queridinhos da prefeitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *