Previsão do Tempo
Tempo em
Francisco Beltrão

º | º

“Conhecendo o artista como ele é”. Parte 6 Vilmar Mazzetto

“CONHECENDO O ARTISTA COMO ELE É”

A equipe do Departamento de Cultura visitou na última quinta-feira, dia 10 de agosto, VILMAR MAZZETTO.

Mais de trinta anos de trabalhos prestados na cidade e região, Vilmar Mazzetto construiu a história do teatro e tornou-se umas das grandes referencia no sudoeste do Paraná. Um ícone do teatro, ator, diretor, aderecista,figurinista, maquiador, escritor,professor e agora para completar um extenso e admirável currículo também advogado.Uma trajetória de sucesso e realizações a custas de muito estudo, dedicação e persistência.Vilmar Mazzetto um beltronense de coração que enriquece nossa cidade culturalmente e muito nos orgulha.
Nascido em Vitorino- PR, Filho de Valentin e Tereza Mazzetto já falecidos, veio para Francisco Beltrão com toda a família com apenas um ano de idade. O nono filho de dez, Vilmar desde muito novo ainda estudante da Escola Municipal Frei Deodato incentivado por alguns professores que perceberam o talento e a paixão do menino pelas interpretações artísticas, aliados á boa comunicação e disposição de trabalhar em grupo, Vilmar começou a criar peças de teatro.
A primeira aparição em público foi ainda nos anos 80 no antigo teatro municipal, onde apresentou “Zeca e suas duas Mulheres”. Um texto de sua autoria passado no “estêncil” e rodado no “mimeógrafo”, (um instrumento utilizado nas escolas nos anos 80 e 90 para fazer cópias em grande escala, umedecido no álcool). Uma relíquia na história profissional de Vilmar que se encontra guardado com muito cuidado no Memorial da Companhia de Teatro Théspis.
Em 1985 abriu a primeira Companhia de Teatro “Espelho da Vida” onde contou com a participação de muitos jovens que faziam teatro aos finais de semana como forma de lazer e diversão. Foram 11 anos de duração dessa companhia, uma equipe de quase 20 funcionários, Vilmar buscava constantemente o aperfeiçoamento para melhor atender os alunos que o procuravam com o sonho de se tornarem atores. Viajou por toda a região e prestou serviços nos 42 municípios do sudoeste, tanto com peças de teatro, aulas, oficinas e palestras de diferentes assuntos principalmente motivacionais.
Em 1995 certo de suas escolhas e fazendo do teatro seu grande objetivo de vida, criou em Francisco Beltrão a conceituada e reconhecida Companhia e Escola de Teatro Théspis, atuante até os dias de hoje. O trabalho da Companhia Théspis tornou-se referencia na arte cênica e na interpretação. Visando sempre o aprimoramento da comunicação,dramatização, criação, desenvoltura, além de preparar o aluno para os testes e exames obrigatórios para se obter a carteira profissional de ator e atriz. Gerações que juntos com Vilmar Mazzetto construíram a história do teatro beltronense, e deixaram um legado para a cultura da cidade. Pais que foram alunos e hoje os filhos que da mesma maneira ainda procuram a escola e desejam fazer parte.
A partir da companhia de Teatro Théspis, muitos alunos que aprenderam com Vilmar tornaram-se independentes e criaram suas companhias, sem jamais perder o contato e bom relacionamento com o pioneiro da Arte cênica, Vilmar Mazzetto.
A Companhia de Teatro Théspis formou e profissionalizou muitos jovens na cidade e região, mas nem sempre foram dias de alegria e realização. Vilmar em determinados momentos cogitou a possibilidade de sair da cidade em busca de maiores oportunidades, Mas a persistência, o amor pelo teatro, seus filhos como ele denomina seus ex alunos que acompanharam essa linda história, o fez batalhar e conquistar seu espaço e o espaço do teatro em Francisco Beltrão e toda a Região Sudoeste.
“Graças a Deus não fui! Talvez hoje, fora daqui eu seria apenas mais um”!
Vilmar nos contou orgulhoso dos títulos que já recebeu como forma de reconhecimento de seu trabalho. Sempre voltado ao teatro e a cultura de modo geral. Foi Diretor de Cultura nos municípios de Renascença e Marmeleiro. Participou das inaugurações dos teatros de Francisco Beltrão, Teatro Eunice sartori- Espaço da Arte e o Teatro da Unioeste.
Professor formado pelo magistério, pedagogo, mais de 200 obras escritas e publicadas, e com uma bagagem de experiência grandiosa, destaca a importância para o artista de alcançar seu espaço na sociedade e que não apenas o poder público, mas a sociedade em geral precisam enxergar o valor da arte especialmente o teatro.
Outro fato interessante sobre Vilmar e que certamente é a maior prova do amor pelo teatro, foi à decisão de buscar conhecimentos sobre leis para a defesa e regulamentação da profissão de ator, então a decisão de estudar direito. Num impulso e preocupado com a situação do teatro, fez o curso de Direito pela UNIPAR. Formou-se e hoje atua como advogado. Travou uma luta em defesa do teatro, e contra o exercício ilegal da profissão.
Após longos anos instalados na antiga Escola São Cristóvão, no mesmo bairro, neste ano a Companhia de teatro Théspis foi contemplada pela administração municipal com uma no sede para melhor atender o acervo e as constantes atividades da Escola e Companhia de teatro.
O artista que já se sentia realizado profissionalmente nos conta emocionado que a decisão da administração municipal neste ano de 2017 em acomodar sua Companhia de teatro, oferecendo um novo espaço, com melhores condições de trabalho, foi umas das mais lindas formas de valorização da arte e do teatro e principalmente o reconhecimento de uma história de anos de trabalho prestado na cidade, há mais de 30 anos. A nova Sede ainda está passando por adequações, reformas e sendo cuidada com muito carinho e gratidão, e será inaugurada com uma grande festa no mês de outubro. Fica localizada na Vila Lobos, antiga Casa Familiar Rural.
De todos os feitos e realizações de Mazzetto o que mais lhe causa alegria foi a chegada do filho o qual criou e educou com muito amor e responsabilidade, Victor Valentino Mazzetto, “Um presente de Deus” afirmou durante a conversa. Victor hoje com 18 anos,filho de Adriana Nunes de Souza, está servindo ao exército, mas mora com o pai. Um grande amigo e companheiro do pai, apoiador, não poderia ser diferente, pois dessa forma foi que Vilmar sempre acolheu a todos que dele se aproximaram . Um Grande profissional, um amigo verdadeiro, um pai amoroso, um verdadeiro vencedor. Um beltronense de coração que marcou a história da Cultura da cidade.

#EquipeCulturaFB