Previsão do Tempo
Tempo em
Francisco Beltrão

º | º

Unidade de Pronto Atendimento está 70% concluída

Publicado em

A obra é executada há mais de um ano e já recebeu dois aditivos de preço para readequar o projeto original; Prefeitura investirá mais de R$1 milhão na execução

Da assessoria

Obra foi vistoriada pelo prefeito nesta semana; construção é viabilizada pelo governo federal

Obra foi vistoriada pelo prefeito nesta semana; construção é viabilizada pelo governo federal

A Unidade de Pronto Atendimento (Upa 24 Horas) em construção às margens da PR-180, em Francisco Beltrão, já está com vários ambientes em fase de acabamento. No entanto, readequações ao projeto original e investimentos na infraestrutura do local devem atrasar a obra, que também atenderá pacientes de outros seis municípios da região.

Na tarde desta segunda-feira, o prefeito Antonio Cantelmo Neto (PMDB) e a secretária de Saúde, Rose Mari Guarda, vistoriaram o local com arquitetas da Engebel, empresa executora, para avaliar a necessidade de aditivo para readequações ao projeto original. Mais R$301 mil estão sendo investidos e outros R$174 mil já foram autorizados em outra ocasião para readequar o projeto.

“A obra foi dimensionada de acordo com os recursos disponíveis na época e agora estamos verificando outras necessidades que estão surgindo”, afirmou o prefeito Neto. No local, o prefeito conheceu as instalações e o andamento da obra, que tem 2,3 mil metros quadrados e que previa um investimento inicial de R$2,3 milhões, viabilizados pelo governo federal. A diretora do DIPPM, Monica Miró, a arquiteta Liziane Behne e o diretor de Licitações, Fernando Steinbach, também acompanharam a visita.

Segundo a Secretaria de Saúde de Beltrão, a Upa atenderá uma população de 150 mil habitantes e, após concluída e habilitada, receberá recursos do Ministério da Saúde para seu custeio. A obra iniciou em 2012 e poderá atender até 300 pacientes por dia.

Na ocasião, o prefeito Neto também falou que a Prefeitura terá que enfrentar uma série de obstáculos para colocar a Upa em funcionamento. “Primeiro porque o terreno em que a obra está sendo construída ainda não foi pago pela gestão anterior, mas estamos em constantes conversas com o proprietário para encontrar uma solução”, disse. A Prefeitura também precisa arcar com os projetos complementares, como o ajardinamento, ligações de energia elétrica e saneamento, além da construção de um trecho na marginal da rodovia, que está sobre jurisdição do Departamento de Estradas e Rodagem (DER).

Para a aquisição dos equipamentos e mobiliário médico-hospitalar, a Prefeitura já tem disponível R$800 mil, viabilizados pelo deputado federal Zeca Dirceu (PT) no Ministério da Saúde. A estimativa é de que somente em equipamentos e mobília sejam investidos R$1,1 milhão. “Esta é uma obra que recebemos em andamento, mas que, após vencidos todos estes percalços, trará um ganho importante para o município”, finaliza Neto.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *