Previsão do Tempo
Tempo em
Francisco Beltrão

º | º

Mais de 190 agentes de saúde e temporários vão reforçar combate ao Aedes aegypti

Publicado em

Número é quase cinco vezes maior que a atual equipe e irá realizar novos mutirões pela cidade; apesar da queda no índice de infestação, Prefeitura recomenda atenção com possíveis focos de larvas

Da assessoria

Uma reunião na manhã desta segunda-feira (25) apresentou dados sobre a presença do Aedes aegypti e traçou o plano de ação com reforço no combate a dengue, chikungunya e zika em Francisco Beltrão. A partir desta e da próxima semana, 195 agentes de saúde e profissionais contratados em regime temporário irão intensificar a busca por focos de larvas do mosquito com novos mutirões nos bairros e em comunidades do interior.

Atualmente, 43 agentes de combate a endemias trabalham no controle do mosquito Aedes e o reforço da equipe é uma recomendação do Ministério da Saúde para todo o estado. “Fatores como a falta de frio no inverno e o excesso de chuva e calor nos últimos meses têm contribuído para uma situação no Brasil, Paraná e especificamente em nossa região que é propícia à proliferação do mosquito e uma série de novas ações são recomendadas para evitar o avanço e, em nosso caso, manter o controle das doenças transmitidas pelo Aedes”, explica a secretária de Saúde, Rose Mari Guarda.

Até o final de fevereiro, o reforço na equipe permitirá que os agentes e voluntários verifiquem residências, lotes e áreas propícias ao acúmulo de água parada em todas as residências da cidade, com foco nos bairros em que o índice de infestação e de casos suspeitos é maior. Em municípios com maior índice de infestação, o governo federal também determinou o reforço cm equipes das Forças Armadas e Defesa Civil para controlar o avanço das doenças.

 

Índice de infestação é de 3,3%

O índice de infestação do mosquito na cidade caiu em comparação com novembro, mas continua sendo considerado de médio risco. O percentual de residências com focos do Aedes caiu de 5,7% para 3,3% nos últimos 60 dias e a intenção da Secretaria de Saúde é reduzir para menos e 1% até abril, quando se registra o ápice da infestação.

Para o prefeito Antonio Cantelmo Neto, o combate ao Aedes está sendo feito de forma estratégica e neste ano recebe especial atenção em função da situação do país. “Há três anos Beltrão chegou a um estado de epidemia de dengue e por isso sempre será considerado um município suscetível a novamente ter uma epidemia, mas apesar dos agravantes deste ano, nós estamos com a situação controlada, intensificando as ações e vistorias e fazendo a nossa parte para que uma nova epidemia não aconteça”, afirmou Cantelmo Neto durante a reunião.

 

80 casos suspeitos

Neste ano Beltrão já notificou 80 casos suspeitos de dengue e sempre que há o registro de suspeita faz o chamado bloqueio, com aplicação de fumacê, visitas de agentes e busca ativa de prováveis casos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *