Previsão do Tempo
Tempo em
Francisco Beltrão

º | º

Exército homenageia Tenente Camargo

Publicado em

Nesta terça-feira, 03, o vice-prefeito e secretário municipal de Planejamento, Antônio Pedron, participou da cerimônia em homenagem ao Tenente Carlos Argemiro Camargo (Tenente Camargo). Foi na sede do 16° Esquadrão de Cavalaria Mecanizado do Exército em Francisco Beltrão.

A solenidade que homenageou os 53 anos de morte do Tenente Camargo foi presidida pelo Major Marcos Pereira Soares, Chefe do Estado-maior da 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada de Cascavel. Estiveram presentes várias autoridades civis e militares, além de familiares e ex-companheiros de trabalho do militar, em especial a senhora Marinez Corrêa Soares Bósio, sobrinha do Tenente Camargo.

Carlos Argemiro Camargo nasceu em 15 de abril de 1938, na cidade de Ponta Grossa. Foi convocado para o Serviço Militar e incorporando no 13º Regimento de Infantaria em 1957. Dois anos depois foi transferido para a recém instalada 1ª Companhia do 13º RI, em Francisco Beltrão, onde hoje está instalado o 16º Esquadrão de Cavalaria Mecanizado.

Em 26 de março de 1965, o posto de telegrafia da 1ª Companhia do 13º RI recebeu ordem do escalão superior para interceptar um grupo armado subversivo, que já havia atacado destacamentos da Brigada Militar do Rio Grande do Sul. O comando local destacou uma patrulha, comandada pelo Tenente Lemos. O Tenente Camargo foi um dos integrantes desta equipe.

No dia 27 de março de 1965 o grupo subversivo preparou uma emboscada e recebeu a patrulha a tiros, próximo de Marmelândia. Dois desses tiros atinginram o militar, no peito e em uma das pernas, causando a sua morte. Apesar da baixa, a missão prosseguiu e, no mesmo dia, o grupo armado foi alcançado e preso.

O então 3º Sargento Camargo, na época com 26 anos, deu sua vida em defesa da Nação, no cumprimento do seu dever. Ele se casado recentemente com Maria da Penha Correa Soares, que ficou grávida no 7º mês de gestação de seu único filho.

Sua morte prematura causou comoção nacional, mas abalou sobremaneira a população beltronense, que já havia o abraçado como um de seus filhos, visto que estava integrado à sociedade local. Com o ato de bravura, foi promovido “post-mortem” ao posto de 2º Tenente e recebeu a Medalha do Pacificador. Todos os anos, o Exército presta homenagem ao militar.

No encerramento da solenidade foi depositada de uma corbélia de flores no túmulo do Herói. O comandante do 16º Esquadrão da Cavalaria Mecanizada, Capitão Jaime Oliveira da Silva Lima, o Major Marcos Soares, a senhora Marinêz Corrêa Soares Bósio, demais familiares e o vice-prefeito Antonio Pedron participaram deste ato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *