Previsão do Tempo
Tempo em
Francisco Beltrão

º | º

Com chegada da primavera, agentes intensificam combate à dengue

Publicado em

 

Da assessoria

Nesta semana, agentes estão fazendo uma varredura no Padre Ulrico, que receberá o mutirão de descarte no sábado

Nesta semana, agentes estão fazendo uma varredura no Padre Ulrico, que receberá o mutirão de descarte no sábado

Desde o início desta semana que os agentes de combate a endemias de Francisco Beltrão retomaram os trabalhos focados em eliminar os criadouros do mosquito da dengue. A intensificação do combate nesta época do ano se deve em função da chegada da primavera, período que alia chuva e calor e propicia a proliferação dos focos do aedes aegypti.

O trabalho iniciou pelo bairro Padre Ulrico, que neste sábado receberá o mutirão do descarte, organizado pelo Departamento de Combate a Endemias da Secretaria de Saúde. Os agentes estão percorrendo todas as casas orientando os moradores sobre os cuidados no quintal e como proceder o descarte. “Caminhões da Prefeitura passarão recolhendo restos de móveis, eletroeletrônicos e outros tipos de lixo que podem acumular água em frente à casa dos moradores. Só não serão aceitos restos de construção, e de chapeação e mecânica”, explica, Claudionei Roessler.

Os mutirões de descarte, feitos em parceria com as secretarias de Urbanismo e Meio Ambiente, devem ser frequentes e chegar a todos os bairros da cidade, em um trabalho preventivo organizado pela Secretaria de Saúde. O morador João Idalece, do padre Ulrico, recebeu bem a agente de endemias e até ficou com um saco plástico para fazer a limpeza do terreno em que mora. “É sempre bom colaborar pra tá prevenido”, afirma.

Neste ano, foram registrados apenas 16 casos autóctones de dengue em Beltrão, número bem menor que o da epidemia da doença registrada em 2012. Segundo o Lira, pesquisa que detecta a presença de larvas, o município tem um índice de infestação de apenas 0,2%, ou seja, só 0,2% das residências possuem larvas. O preconizado pelo Ministério da Saúde é 1%.

Mesmo assim, Claudionei recomenda que a população verifique ao menos uma vez por semana as condições de possíveis criadouros do mosquito. “Temos nossos agentes, mas os próprios moradores podem fazer uma inspeção rigorosa em casa”, sugere.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *