Previsão do Tempo
Tempo em
Francisco Beltrão

º | º

Defesa Civil apresenta estudo sobre a cota de cheia do rio Marrecas na Expobel

Publicado em

Da assessoria

Um sistema com os pontos afetados pela água conforme sobe o nível do rio Marrecas é um dos primeiros resultados do recém criado Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres (Ceped), órgão vinculado a Defesa Civil de Francisco Beltrão através da Secretaria de Assuntos Estratégicos.

Acompanhado de um plano de ação que estabelece diferentes atividades de acordo com os níveis do rio, a chamada cota de cheia está em exposição no espaço da Defesa Civil na Expobel e segundo o professor Elvis Hendges, coordenador do Ceped, é um instrumento importante para nortear ações de socorro e prevenção. “Este sistema permite que, com medições e acompanhamento do nível do rio, seja possível identificar áreas que serão afetadas para agir na retiradas das famílias, além de servir como base para o poder público planejar ações que solucione ou amenize as consequências da cheia do rio”, explica.

O sistema foi feito com base no plano altimétrico do município e divide as ações conforme o nível do rio: acima de 3,8 m do nível normal, as autoridades já ficam de prontidão e conforme o nível aumenta realizam alertas e até trabalho de campo para retirada de pessoas dos locais que serão afetados.

O Ceped pretende ainda instalar réguas de medição no Marrecas em pontos mais próximos da cabeceira do rio, o que garantirá cerca de um hora de antecedência nas informações, e um próximo passo é o levantamento dos pontos mais críticos e de casas afetadas pela enchente. “Ainda estamos em um processo de estruturação da Defesa Civil, mas que está indo muito bem com a colaboração de instituições civis, como associações e universidades”, destaca o secretário de Assuntos Estratégicos, José Carlos Vieira.

No estande da Defesa Civil na Expobel é possível conhecer todo o trabalho do órgão, que é vinculado à Prefeitura e ao Corpo de Bombeiros. Além de projetos e estudos, também é possível conhecer o trabalho de formação de núcleos nos bairros, uniformes, equipamentos e mecanismos utilizados para colher informações sobre as condições do tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *