Previsão do Tempo
Tempo em
Francisco Beltrão

º | º

População adere a campanha de coleta e lixo

Publicado em

No mês de maio deste ano a secretaria municipal de Meio Ambiente da Prefeitura de Francisco Beltrão realizou uma pesquisa com 3.365 pessoas. A ação contou com o apoio secretaria municipal de Saúde, através das agentes de endemias e das agentes comunitárias de saúde. O objetivo era saber o grau de conhecimento da população sobre o trabalho da coleta do lixo, principalmente a respeito da separação do lixo doméstico e do reciclável.

No caso da coleta seletiva, 84% dos entrevistados disseram conhecer o programa e 95% confirmaram que fazem a separação em seus domicílios. Além, disso, 98% disseram que se preocupam com as questões ambientais. Também houve a distribuição de panfletos com orientações para reforçar a ação de educação ambiental.

A partir deste levantamento, em julho a secretaria de Meio Ambiente adotou o procedimento de coletar resíduos domiciliar e comercial somente quando estiverem separados. O lixo orgânico é formado por restos de alimentos, fraldas, papéis de uso higiênico, guardanapos engordurados e materiais afins. São recicláveis latas, pet, plástico, papel e vidro.

Os motoristas dos caminhões, os coletores/amontoadores das seis esquipes de coleta urbana da prefeitura e os coletores da Associação de Catadores de Reciclados apontaram onde estavam as maiores dificuldades de coleta devido a forma incorreta do acondicionamento dos resíduos, causando perda de material reciclável e excesso de material no aterro sanitário. A orientação é de que se o lixo não estiver devidamente separado a coleta não é realizada.

O secretário de Meio Ambiente, Adriano David, apresentou um balanço positivo do primeiro mês em que a medida foi colocada em prática. Pelos números levantadas a partir das pesagens dos caminhões de coleta, em julho deixaram de entrar no aterro sanitário 218 toneladas de lixo, uma redução de  18,25% em relação a média dos meses anteriores. Na outra ponta foi verificado aumento da coleta de lixo reciclável.

“Esse indicador é valioso em vários aspectos como a redução de consumo de combustível da frota, aumento da vida útil do aterro sanitário, aumento de material com valor agregado para a associação de catadores e para as demais famílias que vivem da renda oriunda da reciclagem, diminuição de manutenção com dispositivos de suspensão dos caminhões devido a redução do peso transportado, uma vez que em alguns casos a carga foi de 1,6 tonelada a menos”, comenta Adriano.

Ele alerta que a obrigatoriedade da separação do lixo na sua geração, ou seja, nos lares, repartições públicas e empresas em geral, é de responsabilidade dos respectivos geradores conforme a legislação, Lei 12.493/99 PR, 12.305/2010 Federal e a Lei municipal de Francisco Beltrão 3724/2010.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente agradece aos profissionais envolvidos neste novo modelo de trabalho, motoristas e coletores do resíduos orgânicos e recicláveis. Também agradece aos síndicos, comunidade e empresas que prontamente colaboraram com a iniciativa. Orientações e informações complementares diretamente na secretaria, cuja sede fica no Parque de Exposições Jayme Canet Junior.

LIXO

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *